100 Livros, 100 Despertares
/ Categorias: Notícias

100 Livros, 100 Despertares

Cerimónia de Entrega de Livros

100 LIVROS, 100 DESPERTARES

A Cerimónia de entrega dos livros da iniciativa «100 Livros, 100 Despertares» está agendada para o dia 9 de novembro, pelas 18h30, na Biblioteca Municipal. Este ano, o mote de inspiração é a Lusofonia: a língua portuguesa e os autores lusófonos.

A iniciativa “100 Livros, 100 Despertares.” baseia-se num compromisso de promoção do livro e da leitura, de incentivo ao acesso ao conhecimento, ao pensamento, à cultura e à informação, sensibilizando o cidadão para o desempenho de um papel ativo na construção de uma sociedade assente em valores humanos fundamentais.

Com base neste compromisso, a Câmara Municipal de S. João da Madeira e a Junta de Freguesia organizam um sorteio anual, entre todos os sanjonaneses recenseados e/ou leitores da Biblioteca Municipal, procedendo à oferta de 100 livros. 

Para cidadãos com idade igual ou superior a 18 anos, o sorteio é realizado a partir da lista de recenseados no município. Para cidadãos com idade igual ou inferior a 17 anos, o sorteio é feito a partir da lista de leitores ativos inscritos na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo.

A iniciativa teve o seu arranque em 2021, por ocasião da celebração do 60º aniversário da Biblioteca Municipal. Em 2022, o tema da inciativa foi o Desenvolvimento Sustentável procurando despertar o interesse do cidadão para a importância de um contributo ativo no desenvolvimento sustentável global e na construção de um mundo melhor para as atuais e futuras gerações. Em 2022, a sessão contou com a presença do Ministro do Ambiente da Ação Climática, Duarte Cordeiro.

O tema em 2023: LUSOFONIA – a língua é o que nos une.

A língua portuguesa é falada por cerca de 260 milhões de pessoas, o que a afirma como a quarta mais falada no Mundo, devido à comunidade de países e povos que partilham uma herança histórica e o idioma.

Conscientes da importância e da extensão do fenómeno da migração, que envolve milhares de pessoas em Portugal, esta edição pretende destacar a produção literária lusófona, dando a conhecer autores de países de língua portuguesa como Brasil, Angola, Cabo Verde, Moçambique, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste. Pretende-se despertar a comunidade local para a reflexão crítica e informada sobre o mundo e a atualidade; para os valores de diversidade cultural, de paz e justiça, de igualdade; e para a importância da inclusão e integração de imigrantes.

A riqueza literária de cada um destes países é imensa e apresenta-nos autores consagrados e autores emergentes que farão parte da seleção de obras a integrar este projeto, como Mia Couto (Moçambique), José Eduardo Agualusa (Angola), Paulina Chiziane (Moçambique), Odete Semedo (Guiné-Bissau), Tony Tcheka (Guiné-Bissau), Ondjaki (Angola), Vera Duarte (Cabo-Verde), Germano Almeida (cabo-verde), Lygia Fagundes Telles (Brasil), Luis Cardoso (Timor-Leste), Olinda Beja (São Tomé e Príncipe), entre muitos outros.

 

“A liberdade, a prosperidade e o desenvolvimento da sociedade e dos indivíduos são valores humanos fundamentais. Só serão atingidos quando os cidadãos estiverem na posse da informação que lhes permita exercer os seus direitos democráticos e ter um papel ativo na sociedade. A participação construtiva e o desenvolvimento da democracia dependem tanto de uma educação satisfatória, como de um acesso livre e sem limites ao conhecimento, ao pensamento, à cultura e à informação.

                                                                                  In Manifesto da Unesco/IFLA sobre as Bibliotecas Públicas

 

Imprimir
617 Classifica este artigo:
1.0
Please login or register to post comments.